O que é uma startup?

startup

Apesar de ser um termo da moda, nem todo mundo sabe o que de fato é uma startup – mesmo havendo um entendimento geral de que o termo se refere a uma empresa iniciante. Mas o conceito vai além.

Uma startup é um grupo de pessoas que trabalha em conjunto para definir um modelo de negócios que seja repetível e escalável – em um ambiente de extrema incerteza. A ideia é colocar em prática o negócio para testá-lo da maneira mais eficiente possível para então poder alcançar o mercado.

Micro e pequenos empreendedores, principalmente, têm na startup uma forma de promover sua adaptação mercadológica. O objetivo é alcançar um grande número de clientes, evoluir rapidamente com relação a lucros sem que haja aumento significativo de custos. E tudo isso em um curto espaço de tempo.

Além disso, é preciso ser repetível, ou seja, ser capaz de entregar o mesmo produto em escala potencialmente ilimitada. Para isso, o produto ou serviço deverá dispensar o excesso de customizações para diferentes clientes. Os clientes, por sua vez, devem ter algum tipo de problema resolvido pelo produto ou serviço da startup. Afinal, não haveria a necessidade de novos produtos se não houvesse demandas para serem atendidas.

A questão do risco é um dos pontos centrais de uma startup. Ou seja: não há como afirmar se a empresa irá dar certo. Junto a isso, o modelo de negócios deve ser inovador, permitindo que o produto ganhe facilmente o Brasil ou o mundo não só por atender demandas significativas, mas também porque não precisa ficar preso a uma metodologia local de produção.

Mesmo sendo mais comum a existência de startups no setor de tecnologia, isso não significa que apenas essas empresas podem aproveitar o modelo. Há espaço para startups em praticamente todos os segmentos.

Leia mais

Confira livros para quem quer criar uma startup.

Leia o artigo do Sebrae sobre o modelo de negócios de startups.

Assista ao vídeo O que de fato é uma startup?.

 

Wearables se destacam em mercado de Tecnologia

apple-watch-6_1

 

Os wearables, ou tecnologias vestíveis, são equipamentos inteligentes que podem ser incorporados ao vestuário para facilitar o dia a dia de qualquer pessoa. O mercado que reúne fabricantes e distribuidores desses itens vem crescendo a olhos vistos nos últimos anos e tem como seu maior representante o Apple Watch, relógio inteligente da Apple, programado para ter seu lançamento mundial no final de abril.

De acordo com pesquisa realizada pela Ipswitch, empresa líder de soluções tecnológicas, pelo menos um terço das empresas europeias estão dispostas a adotar a tecnologia vestível integrada ao ambiente de trabalho, com os itens conectados à infraestrutura corporativa de TI.

Um exemplo de tecnologia vestível no ambiente de trabalho é a cadeira criada por uma startup suíça. A Nonee resolveu criar o objeto para facilitar a rotina de pessoas que precisam passar muitas horas em linhas de produção, como é o caso de profissionais de linhas de montadoras de automóveis. Batizada de Chairless Chair, ela acompanha os movimentos e permite que o usuário descanse de maneira correta.

Tecnologias à vista

Em geral, itens de alta tecnologia como os dispositivos vestíveis costumam ser lançados em eventos mundiais da área. Confira o que já foi apresentado em alguns dos mais recentes eventos. Esses itens ainda não têm data definida para comercialização.

Talkingband B2: A pulseira inteligente da Huawei permite o rastreamento de atividades físicas, monitorando o tempo de exercício, calorias queimadas, distância percorrida, etc.. Conectado a um smartphone via Bluetooth, o acessório pode ser utilizado também como um fone de ouvido, permitindo que o usuário atenda ligações sem tirar o dispositivo do bolso.

Re Vive: o par de óculos de realidade virtual da fabricante Valve, que está nos estágios finais de desenvolvimento, terá duas telas de 1200 x 1080 com lentes HTC RE Vive, onde imagens fotorrealistas rodarão a 90 frames por segundo.

Relógio conectado ao carro: A Ford está desenvolvendo formas de conectar aparelhos vestíveis em seus veículos. O objetivo é aumentar a segurança e monitorar a saúde do motorista com a conexão entre carro e tecnologia vestível. O item deverá fornecer ao motorista informações básicas de saúde, como batimentos cardíacos e nível de oxigênio e glicose no sangue. No momento, a Ford está em busca de parceiros para aprimorar o conceito do produto.

Eventos de TI em abril

AgendaTI

Confira a agenda de eventos nacionais de Tecnologia da Informação programados para o mês de abril.

Autocom

A Feira e Congresso Internacionais de Automação para o Comércio (Autocom) acontece entre os dias 7 e 9 de abril em São Paulo. O Congresso promove o debate de temas atuais e relevantes sobre varejo e tecnologia, com apresentação de cases de sucesso. Neste ano, o tema central do Congresso será a Produtividade.

3.º Congresso RTI de Provedores de Internet

Realizado em 14 de abril em Recife, o evento é voltado para diretores e proprietários de pequenos provedores, gerentes de TI, engenheiros, analistas de sistema, gerente de infraestrutura, instaladores, prestadores de serviços técnicos e consultores. As palestras serão sobre aspectos regulatórios de pequenos e grandes provedores, compartilhamento de infraestrutura, novas tecnologias de acesso (fiber to the home) e segurança de rede.

Festival Latino-Americano de Instalação de Software Livre – FLISOL

O propósito do evento, realizado em Curitiba no dia 25 de abril, é promover o uso de software livre e a integração de comunidades de usuários de software livre em todos os países da América Latina.

SEO Day

Em São Paulo, no dia 27 de abril, o SEO Day reunirá executivos de grandes marcas e lojas on-line. O evento pretende disseminar as melhores práticas do SEO estratégico para que empresas possam encontrar mais oportunidades de negócio. Entre os palestrantes, estão especialistas da área de marketing digital e e-commerce como Diego Ivo, Daniel Imamura, Hugo Collier, Will Trannin, Gabriel Lima, Gustavo Mariotto e Rafael Medeiros.